domingo, agosto 05, 2007

Ah, meu querido, violento e carinhoso, vem!
Morde meus lábios, me suga e me lambe toda. Entre palmadas estaladas, me xinga, grita palavras chulas que eu desconheça.
Manda! Manda que eu, desavergonhada, faço!
Rameira, puta, nua, escabelada, de joelhos, de costas, de quatro. Insana, entre tabefes e orgasmos, beijos e ganidos, suspiros e gemidos, morro queimando na tua fogueira.
Anjo decaído, lagarto fugaz, bêbado de razão e chapado de insensatez, nesta madrugada gelada em minha cama vem te acabar!

4 Comments:

Anonymous ediney said...

muito bom..e que vontade de ser o re-cebedor do poema

4:34 PM  
Blogger anjobaldio said...

Gostei muito. Um grande abraço.

8:58 PM  
Blogger Klatuu o embuçado said...

Só violência! :)=

Dark kiss.

11:23 AM  
Blogger Klatuu o embuçado said...

P. S. A literatura é sempre compensadora por ser tão fantástica... porque você não consegue fazer tudo isso ao mesmo tempo! JAJAJAJA!!!

Tudo de bom.

11:24 AM  

Postar um comentário

<< Home